22 julho, 2016

OS MISTÉRIOS DA LADEIRA DO PINHEIRO (breves apontamentos dos factos de ordem sobrenatural verificados, desde há 10 anos, no local das aparições de Nossa Senhora das Graças, situados na Ladeira do Pinheiro; entre Torres Novas e Entroncamento) : Portugal. Zaragoza, Editorial Círculo, 1971. In-8.º (18cm) de 284, [8] p. ; [16] p. il. ; B.
1.ª edição.
Obra publicada em Espanha, certamente para contornar a censura do Estado.
Ilustrada com 16 páginas extratexto, reproduzindo actuações da mística, e outras.
Não existem referências à autoria do livro, e este não se encontra recenseado na base de dados da Biblioteca Nacional.
"Natural de Riachos, Torres Novas, Maria da Conceição Mendes Horta tinha 39 anos quando, internada no Hospital da Misericórdia, na Golegã, com uma leucemia, viu uma imagem do Senhor dos Passos a mexer-se. Terá ficado curada, afirmando desde então que tinha visões e falava com os Santos, reunindo ao seu redor um grupo de fiéis que chegou a trazer à Ladeira do Pinheiro pessoas do outro lado do Atlântico. Morreria em 2003, aos 72 anos, poucas semanas depois de ter sido excomungada por um ramo da Igreja Ortodoxa polaca, a única que apoiou o culto.
É uma história feita de vários episódios e uma certa mística de mártir que sempre rodeou Maria da Conceição, conhecida entre os fiéis por “Mãe Maria” ou “Santa da Ladeira” e pelos céticos como “bruxa da Meia Via”. Casada por duas vezes, tendo ficado viúva do primeiro marido, teve as suas primeiras visões nos anos 60, procurando desde então que o seu culto fosse aceite pela Igreja Católica. Não só nunca foi aceite como Maria da Conceição entrou em litígio com o pároco local.
A sua casa foi fechada pela GNR em 1972 e só depois do 25 de Abril, e com o fim do Estado Novo, a Igreja Católica Ortodoxa de Portugal deu o seu apoio a Maria da Conceição, criando-se o início da institucionalização do culto."
(fonte: www.mediotejo.net)
"Antes de iniciar a descrição sucinta dos factos, que, por força das circunstâncias, estão de antemão sujeitos a criticas tão injustas como disparatadas, devo advertir, seriamente, que toda a matéria exposta foi investigada e comprovada em termos de não deixar dúvidas, como poderá certificar-se aquele que o desejar, pois está aberto a todos o campo da investigação. Não se trata, portanto, de «fantasias», «contos» ou «romances», cheios de enfeites, ornamentos ou poesias, que dão à leitura o encanto e deleite, segundo a imaginação  e o génio do autor. Mas aqui, apenas encontrarão a verdade intangível, crua e nua, como Deus a deitou ao mundo, sem uma brisa, suave e amena,  que a harmonize com os conceitos da mentalidade ou beleza da arte de escrever."
(excerto da introdução)
"Tudo quanto fica escrito relativamente às aparições de Nossa Senhora das Graças da Ladeira do Pinheiro, há-de, com certeza, merecer juízos diversos , segundo a condição de cada pessoa, porque uns acreditam em aparições, outros apenas crêem na Bíblia Sagrada, alguns só têm fé na existência de Deus, e uma grande parte não acredita em nada; de tal sorte que é impossível conciliarem-se as opiniões, a não ser que se transigisse até ao ponto de se atingir o alto nível intelectual do sábio que disse: «Só sei que nada sei...»
Mas o que importa é saber, se é ou não é possível a existência de um movimento de salvação sobrenatural, se os factos apontados têm ou não foros de verdade, e se a condição humana é ou não a causa de todas as controvérsias?!"
(excerto do Cap. XII, Considerações finais)
Matérias:
Introdução. I - O princípio das revelações. II - O Mistério da Divina Eucaristia. III - A cura ou diagnóstico de doenças. IV - A translação misteriosa da vidente. V - Mistérios materializados. VI - Visões celestiais. VII - Prenunciação da mística. VIII - Martírios e angústias. IX - Milagre dos «40 dias». X - Extractos de êxtases. XI - Sincronismo de outras aparições. XII - Considerações finais.
Exemplar brochado em bom estado de conservação.
Raro e muito curioso.
Sem registo na BNP.
25€
Reservado

Sem comentários:

Enviar um comentário