30 abril, 2011

TORGA, Miguel - CAMÕES. Coimbra, [S.n. - imp. Gráfica Coimbra], 1987. In-8º (21cm) de 18, [2] p. ; B.
Discurso proferido por Miguel Torga, em Macau, no dia 9 de Junho de 1987, evocando a figura de Camões.
Bom exemplar; apresenta pequena falha no revestimento da capa.

10€ 

29 abril, 2011

SILVA, António Carlos Leal de - E FEZ-SE PORTUGAL... Colaboração de Francisco G. Santana. Lisboa, Ministério da Educação Nacional : Direcção Geral da Educação Permanente, 1972. In-8º de 298, [3] ; [4] mapas ; il. ; B. Col. Educativa, Série D, Nº 11.
Bom exemplar.
10€
FICALHO, Conde de - VIAGENS DE PÊRO DA COVILHÃ. Reprodução em fac-símile do exemplar com data de 1898 da Biblioteca Nacional. Apresentação de Manuel Villaverde Cabral. Lisboa, Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1988. In-4.º (24,5cm) de XVII, [1], 364, [3] p. ; il. ; B.
"O mistério e exotismo do Oriente presentes num livro que se lê como um romance. Um verdadeiro clássico da literatura portuguesa que nos remete para uma ideia central do imaginário colectivo dos portugueses: A gesta dos descobrimentos."
Francisco Manuel de Melo Breyner (Conde de Ficalho) (1837-1903). Homem de letras, notabilizou-se como escritor, foi amigo de Eça de Queirós, Ramalho Ortigão e Oliveira Martins tendo pertencido ao famoso grupo 'jantante' Vencidos da Vida.
Exemplar em bom estado, ilustrado com bonitos desenhos capitulares e vinhetas finais, a assinalar, respectivamente, o início e final de cada um dos capítulos.
Invulgar.
Indisponível
GALLIS, Alfredo - OS DECADENTES. Tuberculose Social, IV. Lisboa, Livraria Central, 1902. In-8º de 242 p. ; E.
1ª edição.
Joaquim Alfredo Gallis (1859-1910). "Foi um jornalista e romancista português muito afamado no seu tempo. Este homem das letras conquistou grande popularidade, também porque se especializou em textos impregnados de sensualismo exaltado. Alguém afirmou que os seus romances viviam “as fraquezas e aberrações de que eram possuídas, eram desenvolvidas entre costumes libertinos e explorando o escândalo...”, agitavam-se “... em lances ora de pura comédia, ora trágico-cómicos”." (vinculadosaobarreiro)
Encadernação cartonada em meia de percalina, com rótulo vermelho e ferros a ouro na lombada; s/ guardas de brochura.
Exemplar em bom estado de conservação.
Invulgar.
Indisponível
ANEDOTAS PORTUGUESAS E MEMÓRIAS BIOGRÁFICAS DA CORTE QUINHENTISTA : ISTORIAS E DITOS GALANTES QUE SUCEDERAÕ E SE DISSERAÕ NO PAÇO [CONTENDO MATÉRIA BIBLIOGRAFICA INÉDITA DE LUIS DE CAMÕES E OUTROS ESCRITORES DO SÉCULO XVI]. Leitura do texto, introdução, notas e índices por Christopher C. Lund. Coimbra, Almedina, 1980. In-4.º (26cm) de 219, [1] p. ; B.
Exemplar da tiragem de 150 ex. em papel vergê creme.
«ANEDOTAS PORTUGUESAS...», trata-se de um manuscrito dos séculos XVI e XVII, descoberto em 1976 por Christopher Lund,  e que pertence ao acervo da Biblioteca do Congresso.
"Grande foi o nosso alvoroço quando descobrimos que, além de anedotas biográficas não conhecidas do autor d'Os Lusíadas, havia também entre elas poesias desconhecidas atribuídas a Camões e, se atendermos ao seu contexto ingénuo e aparentemente autêntico, a ele certamente atribuíveis. (...) Camões não é o único autor escondido entre as folhas da obra. Nomes já consagrados na história e na literatura de Portugal como D. Francisco de Portugal, Jorge de Montemayor, Fr. Bartolomeu dos Martires, D. António de Ataíde, Pantalião de Sá, Cristovão de Moura, Tomás Jordão de Noronha, o Duque de Bragança, etc, saltam à vista a cada folha, junto a nomes menos conhecidos, mas em anedotas igualmente interessantes. (da Introdução do autor)
Bom exemplar, como novo.
40€
CHAGAS, João - BOM-HUMOR. Lisboa, Ferreira & Oliveira, 1905. In-8º de [6], 312 p. ; B.
1ª edição.
João Pinheiro Chagas (1863-1925), jornalista, diplomata e político português, foi um dos elementos mais activos na preparação do 5 de Outubro, tornando-se um dos responsáveis pelo êxito da revolução. Em 1911 chefiou o 1º Governo Constitucional (Primeiro-Ministro), entre 3 de Setembro e 12 de Novembro.
Exemplar muito valorizado por dedicatória manuscrita do autor a "António Bandeira".
Bom estado de conservação, apresenta, no entanto, capas manchadas de oxidação.
Raro - peça de colecção.
Indisponível

28 abril, 2011

MARTINS, José Vitorino de Pina - LIVROS DO SÉCULO XVI IMPRESSOS EM ESPANHA DA BIBLIOTECA DE ESTUDOS HUMANÍSTICOS DE LISBOA. Paris, Fundação Calouste Gulbenkian-Centro Cultural Calouste Gulbenkian, 1999. Separata do volume XXXVIII dos Arquivos do Centro Cultural Calouste Gulbenkian. In-4º grd. (29,5cm) de 68, [1] p. ; il. ; B.
"Tiragem especial de 33 exemplares numerados de 1 a 33 rubricados pelo autor". [O presente exemplar leva o Nº 33]
Bom exemplar, apresenta, no entanto, falha no revestimento do papel da capa; interior muito bom; páginas frescas e limpas.
Raro.
25€
FORÇAS ARMADAS PORTUGUESAS. Prefácio: Gen. Júlio Botelho Moniz. Lisboa, [S.n. - imp. Emp. Tip. Casa Portuguesa], 1961. In-4º (28cm) de 125, p. [75] p. inumer. ; [1] mapa A2 desdobr. ; mto il. ; E.
Monografia ilustrada [com desenhos e colagens] mandada editar pelo pelo Ministro da Defesa Nacional, General Júlio Botelho Moniz. Encadernação em tela «Algol», simples, da tiragem em língua portuguesa, numerados de 851 a 3500 [o presente exemplar leva o Nº 3251].
"Como se viam a si próprias e estavam organizadas no inicio de um ciclo de empenhamento que se havia de encerrar passados catorze anos com o fim da descolonização de Angola e a ocupação do Timor Português, é a grande mais-valia da obra «Forças Armadas Portuguesas». (...) É uma interessante obra por várias razões quer no respeitante ao conteúdo quer à forma, sendo hoje possível encontrar o livro, pelo menos, em muitas bibliotecas militares."
"Sendo certo que é um livro oficial julga-se que seria redutor apresentá-lo como um mero livro de propaganda. Foi então um veículo de informação pública, nacional e internacional, e assim nós o lemos, hoje, como um documento histórico."
"É bem patente o forte pendor patriótico do livro, referindo-se aos aspectos históricos que decorreram desde a criação de Portugal até ao inicio do século XX (Informação Histórica e geográfica sobre a Nação Portuguesa), com especial destaque para a expansão ultramarina e os diferentes territórios que compunham à data o nosso país." (operacional.pt)
Excelente exemplar.
Indisponível

27 abril, 2011

GOMES, Celestino - A EXPRESSÃO META-CROMÁTICA NA PINTURA DE EDUARDO MALTA. Lisboa, Editorial "Inquérito", 1937. In-8.º (21cm) de [64] p. ; [13] f. il. ;  B.
1.ª edição.
Biografia artística de Eduardo Malta, emérito retratista português. 
Ilustrada com reproduções de belíssimos trabalhos do biografado impressas sobre papel couché em extratexto.
"A técnica de Eduardo Malta não pertence a nenhuma escola, não usa de nenhuma das receitas académicas, e, a-pesar-dos seus prémios escolares, sente-se que não é feita dos conselhos didáticos mas completamente de estudo pessoal, self-made." 
(excerto do Cap. V, Da linguagem técnica) 
Matérias:
I. Da arte do retrato. II. Da realização da semelhança. III. Do sentido da elegância. IV. Da interpretação étnica. V. Da linguagem técnica. VI. Da expressão meta-cromática.
Reprodução de um auto-retrato e de outras obras de Eduardo Malta.
Eduardo Malta (1900-1967). Foi um pintor português de nomeada, sobretudo como retratista. Pela sua oposição à arte moderna, e pelos trabalhos que executava para as elites sociais, ficaria conhecido como "retratista do regime".
Exemplar brochado em bom estado geral de conservação. Contracapa apresenta ao centro pequena falha de papel com afectação mínima da f. guarda.
Invulgar.
10€
CARGALEIRO : obra gravada 1954/2009 - CATÁLOGO "RAISONNÉ". [S.l.], ACD-Editores, [2009]. In-fólio (31cm) de 159, [9] p. ; mto il. ; E.
1.ª edição.
Tiragem: 2.000 exemplares.
Manuel Cargaleiro é uma figura incontornável no panorama de pintura contemporânea. Com uma obra extensa é uma personalidade de renome cujo valor artístico é reconhecido internacionalmente. A sua obra transmite uma imensa alegria de vida que, através de múltiplas combinações de cores e pelo seu poder comunicativo, nos leva a descobrir a harmonia cromática da natureza. Musicalidade, comunicação, luminosidade são palavras-chave na pintura de Cargaleiro. Este livro cujo título é "Cargaleiro Obra Gravada 1954-2009" reúne cerca de 200 obras do pintor e representa a mais recente colectânea de todo o trabalho de pintura (passada a gravura) do Autor Manuel Cargaleiro.
Belisima edição, de grande esmero e apuro gráfico, profusamente ilustrada com reproduções de trabalhos de Mestre Cargaleiro em retrospectiva, desde 1954.
Encadernação editorial policromada.
Exemplar em bom estado de conservação.
Indisponível
AMADO, Jorge - TENDA DOS MILAGRES (ROMANCE). São Paulo, Livraria Martins Editora, 1969. In-8º de 374, [1] p. ; il. ; B. Colecção Obras Ilustradas de Jorge Amado, XVIII.
Ilustrações de Jenner Augusto ; Capa de Carybé ; Retrato do autor por Carlos Scliar
1ª edição.
"Em Tenda dos Milagres, segundo romance de Jorge Amado, publicado em 1969, o autor apresenta a violência dos brancos diante de rituais de origem africana, e oferece o ingresso para um outro mundo, onde a mistura não é só de raças, mas também de religiões. É um grito contra o preconceito racial e religioso." (passeiweb)
Bom exemplar.
25€

26 abril, 2011

LOON, Hendrik Willem Van - A HISTÓRIA DO OCEANO PACÍFICO. Tradução de Lauro G. Freitag. Pôrto Alegre, Livraria do Globo, 1941. In-8º de 320, [1] ; il. ; B. Colecção "Tapête Mágico".
Título da edição original norte-americana: "The Story of the Pacific".
"Van Loon percorreu a rotas dos exploradores e navegadores antigos, pesquisando os mistérios do mais profundo dos oceanos e que os cientistas acreditam ser o berço da lua, observando "in-loco" a sua importância e significado para as relações dos povos. (...) Geografia, história, aventura, romance e filosofia - tudo o leitor encontrará neste volume..."
Ilustrado com belíssimos desenhos marinhos, paisagens e mapas.
Bom exemplar, na sua quase totalidade por abrir.
25€ 
MAUROIS, André - ALAIN. Paris, Domat, 1950. In-4º grd. (28,5cm) de LXXXVIII, [2] p. ; B. Collection "Au Voilier".
1ª edição.
Exemplar Nº 405, da tiragem de 800 em papel Velino Branco.
André Maurois, pseudónimo de Emile Salomon Wilhelm Herzog (1885-1967), membro da Academia Francesa, foi autor de romances, biografias e histórias infantis.
Bom exemplar, na sua quase totalidade por abrir. A assinalar, apenas, pequena falha de papel na parte inferior da lombada.
                                      25€

25 abril, 2011

COMEMORAÇÕES DO V CENTENÁRIO DA MORTE DO INFANTE DOM HENRIQUE. Lisboa, Presidência do Conselho : Comissão Executiva do V Centenário da Morte do Infante Dom Henrique, 1961-1963. 4 vol. in-fólio (30cm) de 229 p. (I) ; 335, [1] p. (II) ; 370 p. (III) ; 492, [1] p. (IV) ; il. ; B.
Exemplares razoáveis, com sinais de uso; capas com pequenas falhas no revestimento; lombadas restauradas.
Raro conjunto de 4 livros (comp.), de grande interesse bibliográfico para o tema Henriquino.
40€

22 abril, 2011

ARROYO, Antonio - PERFIS ARTISTICOS. B. Moreira de Sá. Porto, Typographia Occidental, 1896. In-4.º (23,5cm) de 23 p. ; B.
1.ª edição.
Com um retrato do autor em página inteira.
António José Arroio (1856-1934), natural do Porto, engenheiro, político, crítico de arte e professor, foi autor de obras sobre literatura, música e artes plásticas e manteve intensa actividade como conferencista e crítico de arte. Destacou-se como promotor em Portugal do ensino técnico e das artes aplicadas.
Bernardo Valentim Moreira de Sá (1853-1924), natural de Guimarães, foi um ilustre violinista, regente, musicógrafo e pedagogo português.
Exemplar brochado em bom estado de conservação.
Invulgar.
10€
PINTO, Henrique Pinto, O.F.M. - SANTO ANTÓNIO DE LISBOA : ex-votos. Coordenação de Jorge Ramos. Lisboa, Quetzal, 2003. In-8.º de 79 p. ; mto il. ; E.
1.ª edição.
Quadro, pintura, placa com inscrição ou figura esculpida, um ex-voto é sobretudo uma forma de pagamento de uma promessa ou agradecimento de uma graça concedida. Esta publicação de Henrique Pinto Rema reúne os mais diversos, todos dedicados a Santo António, esse santo douto e bom, padroeiro popular dos amores e milagreiro dos objectos perdidos.
Encadernação cartonada do editor com ferros gravados a ouro e aplicação manual de uma gravura na pasta frontal.
Exemplar em bom estado de conservação.
Invulgar.
Indisponível
FRANCO, João - A REFORMA PARLAMENTAR. Discurso proferido na Sessão da Camara dos Deputados de 14 de Agosto de 1897. Lisboa, Imprensa Nacional, 1897. In-8º de 20 p. ; B.
Muito valorizado pela dedicatória manuscrita de João Franco a "Antonio Vianna".
"Raro discurso de João Franco, notável homem público que durante muito tempo exerceu forte influência na vida portuguesa."
Exemplar brochado em bom estado de conservação.
Raro, com interesse histórico.
50€
BRANDÃO, Raul - EL-REI JUNOT. Lisboa, Livraria Brazileira, [1912]. In-8º (23,5cm) de 344, [4] p. ; il. ; E.
1ª edição.
Excelente edição totalmente impressa sobre papel couché e ornada de fotogravuras. 
Encadernação em meia de pele com ferros a ouro na lombada.
Exemplar em bom estado de conservação, apresenta, no entanto, falhas no revestimento na lombada e vincos nos cantos das pastas; conserva a guarda anterior original; carimbos de posse na capa e na f. de guarda anterior; assinatura de posse no rosto; miolo excelente, páginas frescas e limpas. 
Invulgar.
Indisponível

21 abril, 2011

CAMÕES, Luís de - BABEL E SIÃO. Lisboa, Livraria Sá da Costa ; imp. por Bertrand (Irmãos), 1963. In-8º grd. esguio (24cm) de [24] p. inums ; B. Col. de Clássicos Sá da Costa.
Publicação pelo IV centenário da vida literária de Camões.
Elegante e cuidada edição comemorativa do cinquentenário da actividade da Livraria Sá da Costa, edição que não entrou no mercado.
Bom estado de conservação.
Exemplar raro, com interesse bibliográfico.
20€
CAMÕES, Luiz de - OS LUSIADAS. Grande Edição Illustrada Revista e Prefaciada pelo Dr. Sousa Viterbo. Lisboa, Empreza da Historia de Portugal, MDCCCC (1900). In-4º grd. (29cm) de LXXX, [2], 558 p. ; il. ; E.
Belíssima edição de Os Lusíadas - muito valorizada pelo extenso prefácio de Sousa Viterbo - soberbamente ilustrada com desenhos da autoria de Roque Gameiro e Manuel Macedo, em estampas de página inteira, vinhetas e capitulares.
Encadernação em meia de pele com ferros a ouro na lombada.
Bom exemplar.
Invulgar.
80€

20 abril, 2011

GARRETT, J. B. de Almeida - A SOBRINHA DO MARQUEZ ETC. Lisboa, Na Imprensa Nacional, 1848. In-8º de 176 p. ; E. Obras de J. B. de A. Garrett. X. (Quinto no Theatro).
1ª edição.
Encadernação de época, em meia de pele, sólida, apresenta algum desgaste nas margens e lombada; interior limpo, ocasionalmente, com pequenos picos de acidez.
Bom exemplar.
Raro - peça de colecção.
75€
RANCINAN, Gérard - REIS SEM REINO. Tradução: Isabel Feijó. [Prefácio pelo Chefe da Casa Real Portuguesa, Dom Duarte Pio]. Lisboa, Chaves Ferreira, 1990. In-fólio (35cm) de 143, [1] p. ; mto il. ; E. Colecção Histórias da História.
"Os exemplares desta edição especial estão numerados de 1 a 250 e foram assinados por Sua Alteza Real, Dom Duarte, Duque de Bragança." [o presente leva o Nº 180].
Edição da tiragem especial, com acabamento em capa dura revestida a seda, ferros gravados a ouro e aplicação manual de uma gravura (a caixa impressa em serigrafia não acompanha o livro).
"Não será excessivo dizer-se que as pessoas reais, reinantes ou não, têm por cultura, também familiar, a defesa dos valores permanentes dos seus povos.
E é neste ponto que Reis Sem Reino revela o seu maior interesse, pois deixa claro que não há exílio nem outra pena que demova o rei do serviço da pátria, da defesa dos seua valores permanentes, isto é, da Tradição, das várias identidades (espirituais, culturais e ambientais) que constituem a identidade nacional." (do Prefácio)
Exemplar ostenta sinais de humidade, sobretudo nas derradeiras páginas, onde apresenta sinais de colagem, com falhas de papel de relevo na última página; pequena falha no revestimento da capa, junto à lombada.
Obra rara, esgotada à muito, de grande exclusividade - peça de colecção.
60€

19 abril, 2011

ZEISS IKON! : GUIA PHOTOGRAPHICA OFFERECIDO PELA ZEISS IKON A.-G., DRESDEN. [Dresden], [S.n.], [1931]. In-8º (21cm) de 88 p. ; mto il. ; B.
Guia da Zeiss Ikon A.-G., talvez o primeiro a ser traduzido para português, com um curioso "sotaque" alemão.
Exemplar de promoção, editado em 1931, "entre guerras", numa época de grande crise económica e industrial alemã.
Raro, para coleccionadores amantes da fotografia.
Bom estado geral.
15€
SABUGOSA, Conde de - HISTORIADORES PORTUGUEZES : Conferência realizada na Liga Naval em 25 de Abril de 1909. Lisboa, Typ. do Annuario Commercial, 1909. In-8º grd. (25cm) de 15 p. ; B.
Exemplar valorizado por dedicatória autógrafa do autor ao Visconde de Castilho [Júlio de Castilho].
Exemplar razoável.
Invulgar.
25€
COMENTÁRIOS DO GRANDE CAPITÃO RUI FREIRE DE ANDRADA. Introdução por José Gervásio Leite. Lisboa, D.P.B-Agência Geral das Colónias, 1940. In-8º (22cm) de XI, 374, [2] p. ; [3] mapas desdobr. ; il. ; E.
Edição da Agência Geral das Colónias Comemorativa do Duplo Centenário da Fundação e Restauração de Portugal.
Com 2 gravuras intercaladas no texto, uma delas, a reprodução do frontespício da edição prínceps de 1647.
Comentários» "tirados de umas relações e papéis verdadeiros por indústria de Paulo Craesbeeck" tinham uma única edição, a de 1647 que, pode dizer-se afoitamente, é hoje menos conhecida que muitos manuscritos ainda inéditos". Para complemento [desta] segunda edição dos «Comentários», publicam-se em Apêndices as passagens do «Diário» de Monnox, alguns documentos dos Livros das Monções, bem como notas bibliográficas sôbre as personagens mais notáveis que aparecem ao lado de Rui Freire." (do Prefácio)
Rui Freire de Andrade (?-1633), Capitão-Mór da armada portuguesa nos mares orientais, figura entre as primeiras figuras de Chefes da nossa Marinha Militar e dos nossos Conquistadores. De coragem indómita, condutor magnífico de homens, temido e respeitado por adversários, a sua fama no Oriente, era enorme, sendo conhecido por «Sombra do Albuquerque», e mesmo em alguns documentos ingleses, aparece designado por «Orgulho de Portugal».
Meia encadernação com lombada e cantos em pele, com pequena falha no revestimento da pasta anterior; conserva as guardas originais.
Exemplar em bom estado geral.
Indisponível