31 julho, 2011

OS LUSÍADAS : 1572-1972. CATÁLOGO DA EXPOSIÇÃO BIBLIOGRÁFICA, ICONOGRÁFICA E MEDALHÍSTICA DE CAMÕES - BIBLIOTECA NACIONAL DE LISBOA. Prefácio de Manuel Lopes de Almeida. Introdução, selecção e notas bibliográficas de José V. de Pina Martins. Lisboa, Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1972. In-fólio (31x21) XXXIV, 565 p., [231] p. il. ; il. ; B.
1.ª edição.
Catálogo relativo ás Comemorações do IV centenário da publicação dos Lusíadas.
Obra de referência da bibliografia Camoniana, muito completo, impresso em papel de qualidade, com belíssimas ilustrações da bibliografia, iconografia e medalhística mais marcante de Camões e dos Lusíadas.
Excelente exemplar, na sua totalidade por abrir.
Invulgar.
35€

30 julho, 2011

CRAVEIRO, Vaz - O FILHO DE DEUS : poema. Coimbra, Casa do Castelo-Editora, 1949. In-8.º grd. (23cm) XV, 62, [1] p. ; il. ; B.
1.ª edição.
Valorizado por dedicatória datada e assinada pelo autor.
Obra Impressa em papel de qualidade superior, ilustrada com belíssimos desenhos em extra-texto.
Exemplar em bom estado de conservação, na sua quase totalidade por abrir.
Integra o conjunto, uma brochura - "Algumas nótulas críticas à Obra do Autor" -, onde alguns autores portugueses de nomeada, entre outros, Egas Moniz, Ferreira de Castro e Alberto de Monsaraz, elogiam a obra do autor.
Invulgar.
15€
REIS, Ricardo Simões dos - HISTORIA, ARCHEOLOGIA E CRITICA LITTERARIA. [O FORAL DE PENELLA]. Coimbra, Imprensa Academica, 1887. In-4.º (24,5cm) 16 p. ; B.
1.ª edição.
Documento antigo, de grande significado histórico, onde o autor contraria a tese de Alexandre Herculano, propondo-se esclarecer a atribuição do foral a Penela por Fernando Magno no século XI - seria a «Penela» do distrito de Viseu ou do distrito de Coimbra?...
1.º (e único) número publicado.
Exemplar em bom estado de conservação, apresenta no entanto, alguns sinais de antiguidade; a assinalar, uma mancha de humidade no pé da página do lado direito do opúsculo que acompanha toda a obra, sem contudo afectar o texto.
Encadernado com capas flexíveis com relevo entrançado a branco e a ouro; conserva as guardas originais.
Invulgar.
Com grande interesse histórico e regional.
Indisponível

29 julho, 2011

O LIVRO DAS MIL E UMA NOITES. Introdução de Aquilino Ribeiro. Lisboa, Editorial Estúdios Cor, 1958-1962. 6 vol. in-8º grd. (23cm) de 462, [2] p. (I), 622, [2] p. (II), 550, [2] p. (III), 580, [2] p. (IV), 564, [2] p. (V), 520 p. (VI) ; il. ; E.
Traduções de: Aquilino Ribeiro, Branquinho da Fonseca, Carlos de Oliveira, Celeste Andrade, David Mourão-Ferreira, Domingos Monteiro, Irene Lisboa, João Gaspar Simões, José Gomes Ferreira, José Rodrigues Miguéis, Nataniel Costa, Jorge de Sena, J. Saramago, Urbano Tavares Rodrigues. 
Ilustrações de: Alice Jorge, António Charrua, Bartolomeu Cid, Bernardo Marques, Cândido Costa Pinto, Carlos Botelho, Cipriano Dourado, Fernando Azevedo, Infante do Carmo, Jorge Martins, Júlio Gil, Júlio Pomar, Lima de Freitas, Manuel Lapa, Maria Keil, Sá Nogueira e Vaz Pereira. 
"Fernando Azevedo desenhou as vinhetas e as capitulares."
Monumental edição deste clássico da literatura, a melhor que se publicou entre nós, de grande sentido estético e apuro gráfico, impressa em papel de qualidade superior, profusa e belíssimamente ilustrada a p.b. e a cores no texto e em extratexto. 
Encadernação do editor inteira de pele de cor bordeaux com ferros gravados a seco e a ouro e branco na pasta anterior e lombada; corte superior das folhas carminado.
Exemplares em bom estado de conservação, descontando alguns sinais de desgaste nas lombadas.
Valioso conjunto, muito procurado.
Reservado

28 julho, 2011

SENA, Jorge de - FRANCISCO DE LA TORRE E D. JOÃO DE ALMEIDA. Paris, Fundação Calouste Gulbenkian Centro Cultural Português, 1974. In-4.º (25cm) de XV, 334, [5] p., [10] p. il. ; E. Col. Cultura Medieval e Moderna, II.
1.ª edição.
Com um Prefácio de José V. de Pina Martins.
Bonita edição, ilustrada com frontespícios e retratos impressos sobre papel couché.
Tiragem: 1000 exemplares.
"Pelo que fica escrito, o leitor pode compreender como consideramos importante, na vastíssima bibliografia de Sena, este trabalho que temos a honra de apresentar; e como o consideramos igualmente importante no domínio da bibliografia crítica hispano-portuguesa."(excerto do prefácio)
Encadernação cartonada do editor com ferros gravados a ouro na pasta frontal e na lombada.
Exemplar em bom estado geral de conservação. Apresenta falha no canto superior direito, junto à lombada. 
Invulgar.
20€
CABRAL, Antonio - A MORTE DO MARQUÊS DE LOULÉ : uma tragédia na côrte. Mistério que se esclarece - Documentos inéditos. Lisboa, Edição da Emprêsa Nacional de Publicidade, 1936. In-8.º (19cm) de 263, [1] p. ; [2] f. il. ; B.
1.ª edição.
Ilustrada em extratexto com os retratos do autor e do 1.º Marquês de Loulé.
"Na história de Portugal, a exemplo do que sucede na história de outras nações, há falsificações e fraudes, que foram ditadas pelo facciosismo e foram escritas pela paixão. Torna-se urgente desfazer umas e outras, levando a verdade aos escaninhos onde se agachava a mentira e se anichava a má fé. É o que procuro fazer neste livro. Por Deus! Não se consinta que a História verdadeira continue a ser uma santa história..."
(Excerto do prefácio)
Bom exemplar. A assinalar pequena falha de papel na capa, nas margem e no canto direito à cabeça.
Invulgar.
20€
Reservado

27 julho, 2011

[KEMPIS, Tomás de] - IMITAÇÃO DE CHRISTO. Traducção Nova acompanhada de piedosas Reflexões no fim dos capitulos e precedida de Orações para assistir ao Santo Sacrificio da Missa; Pelo Presbytero J.-I. ROQUETTE. PARIZ, Vª J.-P. AILLAUD, GUILLARD e Cª, Livreiros de Suas Magestades O Imperador do Brasil e El-Rei de Portugal, 1869. In-16.º (12cm) de XXXII, 509 p. ; il ; E.
Edição particularmente bonita, ilustrada com um retrato de Jesus Cristo e outras gravuras intercaladas no texto.Tomás de Kempis (1379 ou 1380-1471). "Também conhecido como Tomás de Kempen, Thomas Hemerken, Thomas à Kempis, ou Thomas von Kempen (Kempen, Renânia, 1379 ou 1380 - 25 de julho de 1471, mosteiro de Saint Agnetenberg, Zwolle), foi um monge e escritor alemão. São-lhe atribuidas cerca de 40 obras, o que o torna o maior representante da literatura devocional moderna. Um dos textos escrito por ele é o conhecido «Imitação de Cristo», obra de inegável influência no cristianismo. «Imitação de Cristo» é uma obra da literatura devocional, publicada no século XIV. É a obra mais lida no mundo cristão depois da Bíblia. O seu texto é um auxiliar à oração e às práticas devocionais pessoais. Alguns o consideram um dos maiores tratados de moral cristã. A obra é atribuida ao padre alemão Tomás de Kempis, já que, segundo o Padre Fleury, na edição brasileira da obra, dos 66 manuscritos conhecidos do texto, 60 trazem a assinatura de Tomás de Kempis, entre eles a mais respeitada cópia, conhecida como Kempense, escrita em 1441."
(patristicabrasil.blogspot.com)
Belíssima encadernação artística, coeva, inteira de chagrin em vermelho, ricamente trabalhada nas pastas e na lombada, e corte das folhas dourado.
Exemplar em bom estado de conservação.
Raro.
35€

26 julho, 2011

TAVARES, Silva - RONDA DE GLÓRIA : 1140-1940 : OITO SECULOS. Prefácio de Henrique Galvão ; Ilustrações de Joaquim Azevêdo. [Lisboa], Edição do Cortejo do Mundo Português, 1940. In-8º (19cm) de 105, [7] p. ; il. ; B.
1ª edição.
Exemplar da edição Especial/Luxo de 150 exemplares, numerada e assinada pelo autor. O presente, leva o Nº 24.
"O poema que Silva Tavares recolheu neste volume é uma das peças de honra do Cortejo do Mundo Português - por sua vez inscrito no programa das Comemorações Centenárias de 1940 como uma das suas peças capitais. [...] Poucos poetas conseguiriam como Silva Tavares compôr este poema heróico, nobre, vibrante e simples, em que perpassa tôda a grandeza épica de oito séculos de História portuguesa e se vê tôda a côr adorável do nosso adorável povo. E a confirmação - está clara e exuberante nas páginas dêste livro, nestes quadros admiráveis do Portugal de antanho e da Nação que hoje somos." (do Prefácio)
Excelente exemplar; capas brochadas plastificadas; assinatura de posse na 1ª p. (de ex-libris), antes do anterrosto.
Invulgar.
Indisponível
CARDIA, Mário de Sottomayor - POR UMA DEMOCRACIA ANTI-CAPITALISTA. Lisboa, Seara Nova, 1973. In-8º de 69, [2] p. ; B. Cadernos Seara Nova, «actualidade nacional». 
1ª edição.
"O vício maior da sociedade portuguesa? Deseducação? Estagnação da actividade produtiva? Supressão dos direitos da cidadania? Colonialismo e guerra? Emigração? Nenhum desses ângulos, por si só, proporciona exacta compreensão da realidade nacional: o problema político fundamental da sociedade portuguesa é a dominação sistemática de um povo anestesiado por uma burguesia frágil e incapaz. (...)" (do 1º capítulo da obra)
Bom exemplar.
10€
NEVES, Padre Moreira das – O CARDEAL CEREJEIRA : Patriarca de Lisboa. Lisboa, Pro Domo, 1948. In-fólio (32cm) de 478 p. ; [6] f. ; [32] f. il. ; il. ; E.
1.ª edição.
Apreciada biografia do Cardeal D. Manuel Gonçalves Cerejeira.
Edição monumental de grande esmero e apuro gráfico, profusamente ilustrada, impressa em papel de superior qualidade.
“Figura discutida ao longo de meio século, o Cardeal Cerejeira (1888-1977) foi, na plena acepção da palavra, o último príncipe da Igreja em Portugal. Príncipe da Igreja, designação comumente atribuída aos cardeais, mas também príncipe da Igreja porque consubstanciou, na plenitude da sua acção e da sua representação, tudo o que, até ao Concílio Vaticano II, era suposto, constituir missão e atributo de todos os purpurados."
(fonte: domedioorienteeafins)
Belíssima encadernação editorial inteira de pele com ferros gravados a ouro na lombada e nas pastas.
Exemplar em bom estado de conservação.
Muito invulgar.
Indisponível

25 julho, 2011

GOMES, Celestino - OS MOTIVOS DE DECORAÇÃO ÍLHAVENSE : esboço para uma arte regional. Lido no Teatro Municipal na noite de 23-III-932. Ílhavo, Casa Minerva, MCMXXXII [1932]. In-8.º (23cm) de 29, [1] p. ; il. ; B.
1.ª edição.
Valorizado pela dedicatória autógrafa do autor.
Curiosa conferência sobre a arte decorativa ilhavense produzida por João Carlos Celestino Gomes, médico, professor, escritor e pintor português, natural de Ílhavo.
"Ás mães, às viúvas, às irmãs dos marinheiros ílhavos mortos tragicamente no Mar, sublimes mulheres compondo o friso lutuoso da Saüdade."
(dedicatória impressa)
Exemplar brochado, por abrir, em bom estado de conservação. 
Invulgar.
Indisponível

22 julho, 2011

NEMÉSIO, Vitorino - PORTUGAL : A TERRA E O HOMEM : ANTOLOGIA DE TEXTOS DE ESCRITORES DOS SÉCULOS XIX - XX. Com a presente edição associa-se a Fundação Calouste Gulbenkian às comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. [Viseu], Edição da Fundação Calouste Gulbenkian, 1978. In-8º (20cm) de 288 p. ; B.
"Esta antologia, destinada pelo Instituto de Alta Cultura aos cursos e leitorados de português no estrangeiro, pretende dar a quem se inicia na nossa língua uma série de textos de alguns dos escritores mais representativos, e por isso sempre presentes numa biblioteca portuguesa e vivos na leitura comum." (da Advertência da primeira edição)
Bom exemplar.
15€

20 julho, 2011

RIBEIRO, Mário de Sampayo - A MÚSICA EM COIMBRA. Coimbra, [S.n. - imp. Of. Gráf. da «Coimbra Editora, Limitada»], 1939. Separata de Biblos- Vol. XV. In-8º grd. (26cm) de 32 p. ; B.
"A Música em Coimbra é título vago; melhor fôra que a conferência tivesse sido anunciada sob designação mais restritiva. E a que melhor lhe quadraria era, sem dúvida alguma: «A Música na Coimbra de outrora» pois que só dela tratarei."
(excerto da da apresentação) 
Bom exemplar, na sua totalidade por abrir.
Invulgar, com interesse regional.
Indisponível

17 julho, 2011

SELECTA E VETERIBUS SCRIPTORIBUS LATINIS LOCA, AD USUM SCHOLARUM LUSITANARUM RHETORICES ET POETICES : EDITA EX REGIO MANDATO XXXI JANUARII MDCCCXXVII. CONIMBRICAE, Ex Typographia Academico-Regia. A. D. MDCCCXXVIII (1828). In-8º (21cm) de [10], 385, [1] p. ; E.
Encadernação coeva em meia de pele com ferros a ouro na lombada.
Exemplar em bom estado de conservação, excepto a lombada que apresenta alguns sinais de antiguidade; miolo bom; páginas limpas, aqui e ali, com picos de acidez.
Raro.
25€
CRUZ, Souza – OS GRANDES PROBLEMAS. Rio de Janeiro, Typ. de Almeida Marques & C., 1918. In-8º de [4], V, 246, [1] p. ; B.
Albino Sousa Cruz (1869-1962) foi um emigrante português que se constituiu em industrial no Brasil, onde fundou a companhia [tabaqueira] Souza Cruz. Emigrou em Novembro de 1885 para o Brasil, aportando no Rio de Janeiro. Nesta cidade trabalhou por dezoito anos na Fábrica de Fumos Veado, propriedade do também emigrante português Conde de Agrolongo. Mais tarde essa fábrica seria absorvida pela sua própria indústria. Aos 33 anos de idade, com um sólido conhecimento no ramo e algumas economias, instalou-se num pequeno prédio do centro da cidade e começou a produzir cigarros enrolados em papel, uma novidade que em pouco tempo se espalhou pela sociedade. Em poucos anos passou da produção artesanal à industrial, com tamanho sucesso que, em 1962, quando se retirou da presidência, era dono da maior indústria de fumos da América Latina, a maior contribuinte de impostos no país. (wikipédia)
"Esta série de artigos, publicados na página portuguesa d’O Paiz, foi provocada pela debatida questão da navegação entre Portugal e Brasil e pelo desenvolvimento do inter-cambio Luzo-Brasileiro […] Nem tive em mira outro intuito senão o de contribuir para o desenvolvimento interno no meu paiz, podendo satisfazer os desejos dos capitalistas, mantendo tam arrojadas emprezas com a creação de novas industrias de productos exportáveis e, por conseguinte, um ressurgimento geral, que só poderá ser operado com a instrucção profissional.” (da Introducção [do autor])
Apreciado livro de reflexões, deste industrial de sucesso, sobre as grandes questões económicas que se colocavam aos dois países irmãos nas primeiras décadas do século XX. Nele são abordados os seguintes temas: a Navegação,  a Agricultura, a Instrução, o Comércio e Indústria e o Turismo.
Exemplar valorizado por dedicatória manuscrita do autor.
Livro com capas flexíveis em sintético, em bom estado de conservação; assinatura de posse no anterrosto.
Invulgar.
35€

15 julho, 2011

FEUILLET, Octavio - O ROMANCE D'UM RAPAZ POBRE. Traducção de Camillo Castello Branco. Edição de luxo adornada de 48 gravuras, desenhadas por  Mouchot e executadas por Méaulle. Lisboa, Livraria de Antonio Maria Pereira-Editor, 1888. In-4º (28cm) de [8], VIII, 221 p. ; il. ; E.
Edição original, luxuosa, muito valorizada pela tradução de Camilo e pela excelente Introdução de Maria Amália Vaz de Carvalho, que antes de se debruçar sobre a obra e o autor, tece algumas considerações sobre o Naturalismo -, corrente literária que na época suscitava discussão e debate - e os seus precurssores/expoentes.
Encadernação de tela com lombada em pele e ferros a ouro, sólida, apresenta no entanto, sinais de desgaste, sobretudo a lombada que regista pequenas falhas no revestimento; miolo em bom estado, páginas amarelecidas e oxidadas; s/ guardas de brochura.
Invulgar.
35€
I CONGRESSO DA ORGANIZAÇÃO NACIONAL « MOCIDADE PORTUGUESA » : REALIZADO EM LISBOA DE 21 A 28 DE MAIO DE 1939 : DISCURSOS, RELATÓRIOS, TESES, DISCUSSÕES E CONCLUSÕES. [S.l. - Lisboa], [S.n - imp. Editorial Império], [1939]. In-8º grd. (25cm) de 260, [1] p. ; E.
Histórico congresso da Mocidade Portuguesa, o 1º, após a sua criação em 1936, decorreu no Liceu Camões em Lisboa. Dos 9 artigos do regulamento do Congresso, trancreve-se o mais importante, o artigo 2º: - "O Congresso terá três secções: a) Educação Física da Juventude; b) Educação moral da Juventude; c) A Juventude na vida nacional, a cada uma das quais serão consagradas duas sessões privadas [...]" e presididas, respectivamente, pelo Sr. Dr. Luís Figueira, pelo Sr. Prof. Dr. Marcelo Caetano e pelo Sr. Major Frederico Vilar
Discurso da Sessão pública de abertura e de encerramento pelo Sr. Comissário Nacional da M. P., Eng. F. J. Nobre Guedes. "Discurso pronunciado por Sua Exa. o Ministro da Educação Nacional, Prof. Dr. A. F. Carneiro Pacheco na Sessão de encerramento do Congresso."
Encadernação inteira de percalina verde com ferros a ouro na lombada.
Exemplar em excelente estado de conservação; conserva as guardas originais, que se apresentam manchadas de oxidação; miolo em boa condição, páginas muito limpas e frescas.
Peça de colecção - documento histórico da bibliografia do Estado Novo.
Muito raro, dada a exiguidade da tiragem.
Indisponível

14 julho, 2011

DURUY, Victor - COMPENDIO DA HISTORIA UNIVERSAL : POR... Ministro da Instrucção Publica da França e Professor de Historia no Lyceo Napoleão. Traduzido pelo Padre FRANCISCO BERNARDINO DE SOUZA Professor no Imperial Collegio de Pedro II. RIO DE JANEIRO, B L GARNIER, EDITOR, 1865. In-8º (18cm) de [4], 443 p. ; E.
1ª edição.
Obra Importante no contexto do ensino da História no Brasil -, na segunda metade do século XIX - às elites, futura classe dirigente, condutora dos destinos do país. 
"Na ausência de uma historiografia genuínamente nacional [brasileira], contar com autores estrangeiros foi imprescindível tanto para contar uma história universal quanto para iniciar um saber sobre a nação brasileira. [...] Na tarefa de introduzir a história nacional entre as nações europeias, tornou-se comum seguir como modelo de História Universal a obra do francês Victor Duruy "Compendio da Historia Universal". Segundo Bitencourt, a produção didáctica nacional ao traduzir tais obras adaptavam-nas aos seus interesses. O caso do compendio de Duruy é marcante. A tradução do professor do Colégio Pedro II [no Rio de Janeiro], o clérigo Francisco Bernardino de Souza, não obedeceu exactamente aos princípios do historiador francês. A intervenção do tradutor foi responsável por algumas alterações importantes na obra. Houve uma redefinição  dos capítulos iniciais do livro." (docs.google.com)
Encadernação coeva inteira de pergaminho em bom estado de conservação; discreta mancha de humidade no pé da página, transversal a toda a obra, tornando-se mais visível nas últimas pág. do livro; assinatura de posse no rosto e aparente supressão de anterior assinatura.
Bom exemplar, dada a antiguidade.
Raro e curioso.
50€
FRANCE, Anatole - LES SEPT FEMMES DE LA BARBE-BLEUE : ET AUTRES CONTES MERVEILLEUX. Paris, Calmann-Lévy, Éditeurs, [1909]. In-8º (19cm) de [4], 306, [2] p. ; E.
Edição original.
Anatole France (1844-1924) foi um poeta, jornalista e romancista francês de sucesso, galardoado com o Prémio Nobel em 1921.
Encadernação em meia de pele vermelha com ferros a ouro na lombada.
Exemplar em bom estado de conservação, apresenta alguns sinais de manuseio nas charneiras, bem como pequenas manchas de acidez, sobretudo nas primeiras páginas; preserva as guardas de brochura.
Raro.
60€

13 julho, 2011

BOTELHO, António Ferreira - DE LISBOA AO RIO. ENCANTOS DA VIAGEM MARÍTIMA. PERIPÉCIAS DA VIDA A BORDO - "MISS PORTUGAL". RELANCES SÔBRE OS LUGARES VISITADOS. Braga, Tip. da Oficina S. José, 1931. In-8º grd. (25,5cm) de 57, [1] p. ; B.
1.ª edição.
"Com tranquilidade senti, pois, o Niassa começar a deslizar serenamente pelo Tejo, bordado duma e outra banda por escalonados outeiros iluminados, ao mesmo tempo que uma indefínivel emoção me começava a embalar a alma deante do mistério que era ainda a viagem que eu iniciava."
(excerto do Cap. I, Preparativos)
Exemplar brochado em bom estado de conservação.
Invulgar.
Indisponível
RAPOSO, Hipólito - PÁTRIA MORENA. Porto, Livraria Civilização, 1937. In-8º (19cm) de 335, [9] p. ; E.
1.ª edição.
Apreciada colectânea de crónicas, algumas antes publicadas em jornais e revistas.
Matérias:
Exta He Lixboa Prezada. Terras da Minha Gente. Nos Domínios de D. Fuas. Pelo Reino das Cegonhas. Cuidados Meus.
José Hipólito Vaz Raposo (1855-1953). "Mais conhecido por Hipólito Raposo, foi um advogado, escritor, historiador e político monárquico, que se notabilizou como um dos mais destacados dirigentes do Integralismo Lusitano."
Encadernação cartonada com as pastas revestidas em sintético. Sem capas de brochura.
Exemplar em bom estado de conservação. Dedicatória manuscrita (não do autor) na f. anterrosto.
Pouco vulgar.
15€
MIGUÉIS, José Rodrigues - O PASSAGEIRO DO EXPRESSO : PEÇA EM 4 CENAS. Lisboa, Estúdios Cor, 1960. In-8º de 74 p, [3] f. ; B.
1ª edição.
Bom exemplar, na sua totalidade por abrir.
10€