25 junho, 2018

BASTOS, Francisco Leite - GLORIAS DO TRABALHO : drama em tres actos. Original De... representado repetidas vezes no Theatro das Variedades. Precedido de um parecer do Sr. A. da Silva Tullio. Lisboa, Livraria do sr. Campos Junior, [1865]. In-8.º (17cm) de 51, [1] p. ; B. Col. Theatro Escolhido, N.º 10 - 2.ª Serie - IV
1.ª edição.
Obra raríssima. Trata-se da segunda publicada pelo autor; a 1.ª, igualmente uma peça de teatro, foi Consequencias de uma inicial : comedia original em um acto (1863), também representada no Teatro das Variedades. De acordo com uma biografia da época, «As glorias do trabalho», "que também obteve grande ovação, era um drama que denotava verdadeiro talento, mas em que se conhecia a falta de estudo e de instrucção" do autor.
"A critica e o publico acceitaram o presente drama e festejaram-no na imprensa e no theatro, como elle foi escripto, e com favor tal que nunca julguei merecer.
Para essas dividas de gratidão é que de certo não ha resgate. A tão benevolos estimulos respondo apenas com o meu evangelho - o trabalho.
Trabalharei pois: e oxalá no futuro eu possa por elle tornar-me util; e os generosos amigos, que ora vêem espalhar flores n'este caminho abrolhoso, aonde só espinhos se encontram, não tenham de pejar-se ante a inutilidade de seus desejos.
São estas as minhas aspirações - estes os votos do meu eterno reconhecimento."
(Preâmbulo)
"A comedia-drama, em tres actos, original, intitulada Glorias do trabalho, sobre ter por argumento um thema recommendavel, está escripta e dialogada com muita propriedade; tem bons typos; boa doutrina; os actos fecham com lances e ditos de seguro effeito scenico; e em summa é uma peça que muito folgo de approvar com louvor."
(Parecer)
Francisco Leite Bastos (1841-1886). “Jornalista, autor de contos e romances policiais, dramas e comédias, nascido a 17 de setembro de 1841, em Lisboa, e falecido a 5 de dezembro de 1886, na mesma cidade. Apesar da ausência de formação literária, os seus escritos - peças, crónicas  e romances - gozaram no seu tempo, de um relativo êxito popular. Colaborou no Diário de Notícias e em vários jornais literários. Deu sequência ao Rocambole, de Ponson du Terrail, em Maravilhas do Homem Pardo. Toda a sua obra jornalística e literária se pauta pela crítica de costumes.”
(Fonte: infopédia)

Exemplar brochado, por aparar, em bom estado de conservação.
Muito raro.
Sem registo na BNP.
45€

Sem comentários:

Enviar um comentário