04 maio, 2016

APARÍCIO, Victor - TONECAS : a tragédia que enlutou Almada. Edição evocativa do cinquentenário da tragédia : 1938-1988. [Prefácio de Romeu Correia]. [Almada], Câmara Municipal de Almada, 1988. In-8.º (21cm) de 125, [3] p. ; il. ; B.
1.ª edição.
História da tragédia do Tonecas, cacilheiro naufragado no Tejo em Dezembro de 1938, e tudo o que se seguiu.
Ilustrada com desenhos e fotogravuras nas páginas do texto.
"Lembro-me como se fosse hoje, e já lá vão 50 anos. Nesse dia 19 de Dezembro de 1938 a manhã nascera limpa de nuvens, mas fria e triste. Eu vivia na pujança dos vinte anos, depois de cumprir a recruta na vila do Entroncamento. Saíra livre ao número, beneficiado pelo sorteio, e regressara à condição de cidadão desempregado, tão frequente nos jovens desse tempo. [...]
Eu entretinha-me a praticar desporto, a tentar as primeiras peças teatrais, a ler e a ir ao cinema, quando a magra bolsa me permitia.
Nessa tarde, atravessei o rio e encafuei-me no Chiado Terrasse. Acabado o filme dei uma volta pela baixa lisboeta e dirigi-me ao Terreiro do Paço. Vejo que um cacilheiro vai partir e decido-me a correr e a pular para a amurada. Apanhei o barco por um triz...
Chegado a Cacilhas, venho a pé para a vila. Quando batia à minha porta - Avenida Heliodoro Salgado, 13 - oiço gritos de um vizinho, dizendo que o cacilheiro seguinte ao nosso fora abalroado por uma draga, indo ao fundo com todos os passageiros. Uma desgraça nunca vista!"
(excerto do prefácio)
Matérias:
Prefácio. 1 - O "Ville de Victoria e "D. Elisa". 2 - O naufrágio. 3 - Seis Retratos dos Bastidores. 4 - Almada vestiu-se de luto. 5 - Peripécias da Emersão. 6 - Funerais. 7 - Os Vivos e os Mortos.
Exemplar brochado em bom estado de conservação. Carimbo da Biblioteca Municipal de Almada na f. rosto.
Invulgar.
20€

Sem comentários:

Enviar um comentário