01 maio, 2017

ALBERGARIA, Jacinto Soares de - OS DIAS INDEFINIDOS. Coimbra, [s.n. - comp. e imp. na Casa Minerva, Coimbra], 1951. In-8.º (19cm) de 47, [1] p. ; B. Col. Arquipélago, 1
1.ª edição.
Livro de poesias. Primeira obra do autor, que é também o primeiro número da colecção «Arquipélago», conhecida publicação por si dirigida.

"A Ilha me gerou
em nevoeiro profundo
e aquilo que sou
na terra me confundo:

Ilha e céu de névoas
onde acaba e principia o mundo."

(Inscrição)

Jacinto Soares de Albergaria (1928-1981). "Nasceu na cidade de Ponta Delgada, ilha de São Miguel, em 26 de Janeiro de l928, falecendo em Setembro de 1981, notabilizando-se nas letras açorianas, sobretudo, como poeta. Ainda aluno e finalista do Liceu de Ponta Delgada fundou, com alguns condiscípulos e companheiros de tertúlia, o Círculo Literário de Antero de Quental, no qual, em 1949, viria a proferir uma conferência que daria origem a uma breve polémica na imprensa local em torno do conceito de literatura açoriana. Mais tarde, fixou-se em Coimbra, onde cursou Ciências Históricas e Filosóficas em 1946-52, fundou e dirigiu com Eduíno de Jesus a publicação de uma série de obras literárias de autoria açoriana com a chancela de Colecção Arquipélago, e mais tarde, tendo-se já fixado definitivamente em Ponta Delgada, foi ainda director de uma revista de «Cultura e Arte» intitulada “Açória”, de que saíram apenas dois números, um em 1958 e outro em 1959. Profissionalmente, seguiu a carreira docente, leccionando na Escola Industrial e Comercial de Ponta Delgada."

(fonte: http://picodavigia2.blogs.sapo.pt/119151.html)
Exemplar brochado em bom estado de conservação.
Raro.
20€

Sem comentários:

Enviar um comentário