30 março, 2016

ALVES, José do Nascimento - NOTAS E MEMÓRIAS DE UM ESTIVADOR. Centenário dos Estivadores. [S.l.], Sindicato dos Estivadores do Porto de Lisboa e Centro de Portugal, 1996. In-8.º (22cm) de [2], 169, [1] p. ; mto il. ; E.
1.ª edição.
Capa de Gentil Oliveira.
Valorizada pela dedicatória autógrafa do autor.
Memórias de um estivador do Porto de Lisboa. Importante subsídio e pioneiro trabalho sobre a estiva, salvo melhor opinião, o único que sobre o tema se publicou entre nós. Muito ilustrado a p.b. nas páginas do texto com reproduções de gravuras, fotografias, fac-símiles, tabelas e desenhos esquemáticos. Inclui ainda em página inteira, fotografia com respectiva ficha técnica de alguns navios emblemáticos da nossa frota mercante, de transporte de carga e de passageiros: S. Thomé; Saudades; Sofala; Bata Novo (iate); Outão; Amisil (lugre); Anfitrite Primeiro (lugre); Mello; Lima; Pero de Alenquer; Vera Cruz; Santa Maria; Pátria; Império; Moçambique; Angola; Niassa; Uíge; Timor; Índia; Quanza.
"A homenagear a iniciativa promovida por uma Comissão do Sindicato dos Estivadores do Porto de Lisboa e Centro de Portugal do qual sou reformado e com cerca de quarenta anos de serviço a seu pedido, entendi extrair de alguns alfarrábios elementos de boa valia que bem identifica esta cidade de Lisboa, o seu Porto e os Estivadores.
A cidade de Lisboa não era tão linda, não era tão bela e não era tão rica se não tivesse a acompanhar o rio Tejo que lhe serve como porto comercial assim como faz dele um dos portos mais bonitos do Mundo que, por sua vez e para seu desenvolvimento uma das principais alavancas eram os homens da Estiva.
É destas três imponências que devo destacar para melhor recordar e homenagear o seu centenário.
Começo por dizer que em cada passo que se dá na zona ribeirinha lisboeta logo o estudioso atacado pela paixão encontra um motivo de investigação ou uma sombra da vida passada da cidade e do seu Porto.
O Cais da Areia, o Cais dos Soldados, o Cais do Tojo, a Rua dos Remolares, o Terreiro do Trigo, a Travessa da Galé, a Travessa da Praia, a Travessa das Galeotas, a Travessa dos Escaleres, a Travessa do Cais da Alfândega Velha são outras tantas recordações do passado a épocas e usos distantes.
O Cais do Sodré sempre pleno de evocações continua a ser o forum da gente do mar e hoje como dantes lá continuam a reunir-se nos cafés e nos bares, os homens da Estiva, agentes de navegação e os embarcadiços. A moderna Avenida da Ribeira das Naus com o seu nome e sítio, nos evoca a floresta dos mastros dos navios outrora ali construídos para engrandecimento e expansão do nosso país."
(excerto do preâmbulo)
Matérias:
Preâmbulo. - O Centenário dos Estivadores : 1896 a 1996. - Evolução no tempo. - Associação de Classe dos Estivadores do Porto de Lisboa : Organização, Disciplina e Trabalho. - Origens. - Escala de Trabalho. - Direitos dos Sócios. - Deveres dos Sócios. - Penalidades dos Sócios. - Disposições Gerais. - Salários e Horários de Trabalho. - Termos de Greve. - O Chafariz de Dentro. - Resumos retrospectivos (de 1907 a 1981): I - Navios entrados. II - Mercadorias : Carga Marítima. III - Passageiros : Navegação Marítima. - [Navios e respectivas fichas técnicas]. - Da Associação de Classe a Sindicato dos Estivadores. - O Ciclone. - Nevoeiros. - O Cais do Sodré. - [Projecto da Casa dos Trabalhadores do Porto de Lisboa : Casa do Conto, Edifício da União, dos Sindicatos e da Caixa Sindical de Previdência]. - Regulamento Interno. - Regulamentação do Serviço de Colocação "O Conto". - Organização Sindical. - Novas Instalações Locais. - A Coomapor. - A Caveira da Coomapor. - Figueira da Foz. - A Vida dos Estivadores. - 25 de Abril. - Passeios Fluviais (piqueniques). - Convívios em Cascais : Parque Marechal Carmona. - Noites de Fado na Casa do Conto. - Riqueza Maior (poesia). - Recrutamento e Trabalhos ao Largo. - Serviço de Colocação de Trabalhadores Portuários. - O Documento: Políticas Legislativa e Sindical: Onde está a "Luta" Sindical Portuária? - Realidades Ocultas. - As Contas da Caixa Auxiliar dos Estivadores. - Reformas e Licenciamentos : Portarias N.º 614 - B/84 de 20 de Agosto. - "Oh Abreu, dá cá o meu.". - Políticas Legislativa e Sindical: Onde está a "Luta Sindical Portuária?". - Continuação de  Novas Estruturas e Obras no Porto de Lisboa. - "Nunca me Convenci" : "Nem me Convenço". - Ingresso no Sector. - A Maior Pedrada de Sempre. - O Estivador mais velho. - O Estivador mais novo. - Os Presidentes.
José do Nascimento Alves. Nasceu em Alfama na antiga Calçada de S. João da Praça, actual Rua Norberto de Araújo, em Lisboa, a 17 de Fevereiro de 1927. Frequentou o 2.º ano na Escola Industrial Afonso Domingos.
Com a morte do seu pai em 1939 teve de abandonar a escola indo trabalhar nas oficinas e a bordo dos navios como aprendiz de "Caldeireiro". Em 1941 tira com boas provas prestadas os certificados de natação e remo. Em 1943 é inscrito Marítimo na Capitania do Porto de Lisboa sendo tripulante de Batelões e Rebocadores da Companhia Nacional de Navegação.
Em 1950 tirocinou na A.G.P.L. o curso de Maquinista de Guindaste apesar de inicialmente não ter profundos conhecimentos de Mecânica e Electricidade, a informação dos Monitores foi ter revelado grande vontade e capacidade de aprender, dignas de apreço.
Em 1952 é admitido como Estivador "Suplente".
Sempre teve gosto de escrever, em Maio de 1981 escreveu um Opúsculo "Alfama onde nasce" que distribuiu quando foi convidado pela C. B. - Banda do Cidadão, Estação-Jagudi, como "guia" de uma visita ao Bairro de Alfama.
Encadernação cartonada revestida por sobrecapa policromada.
Exemplar em bom estado de conservação.
Raro.
Sem indicação de registo na BNP.
35€

Sem comentários:

Enviar um comentário