30 outubro, 2016

SIMÕES, Jorge - OS GRANDES TRABALHADORES DO MAR. Reportagens na Terra Nova e na Groenlândia. [Lisboa], [s.n. - imp. Tip. da Gazeta dos Caminhos de Ferro], 1942. In-4.º (23,5cm) de 402, [14] p. ; [1] mapa desd. ; mto il. ; B.
1.ª edição.
Quim fez a capa e os desenhos.
Exemplar n.º 305 de uma tiragem não declarada.
Obra de referência, e um dos primeiros livros de crónicas sobre a pesca do bacalhau que foram publicados, tema que conheceria um grande desenvolvimento nos anos seguintes. Retrata o dia-a-dia dos pescadores nas águas geladas do Atlântico Norte: são páginas de esperança e sofrimento, vida e morte, – crónicas da "Faina Maior" – num livro publicado cerca de 10 anos antes do bestseller de Alan Villiers, «A Campanha do Argus».
Ilustrado no texto com desenhos, mapas e inúmeras fotografias a p.b. de momentos da Campanha. Contém um mapa desdobrável com o percurso do NRP Gil Eanes, durante a Campanha da Terra Nova e Groenlândia em 1941.
"A vida dos pescadores de bacalhau nessas longínquas paragens dos bancos da Terra Nova e da Groenlândia era uma reportagem que estava por fazer. [...] Coube-me a honra - graças ao convite amável da direcção do Grémio  dos Armadores e à superior visão de quem dirige o Diário da Manhã - de acompanhar os pescadores nessa campanha de 1941. [...] O pescador, o homem, sai do lugre com o seu «dory» e vai para o mar. Em dado momento, o mar, como que ferido por estranha sensibilidade, revolta-se contra o intruso que, sózinho, se atreve a afrontar a sua grandeza e o seu poder. É, nessa faina de todos os dias, a repetição das iras do Adamastor. [...] Foi por isto mesmo, por tudo o que pensei e ouvi, que me senti feliz por ter a honra de ser o primeiro jornalista português que foi viver a mesma vida dêsses humildes pescadores."
(excerto da introdução)
Jorge Simões (1901-1963). “Nascido em 1901, Jorge Simões foi repórter do Diário da Manhã na segunda metade dos anos 30 do século XX. Foi subchefe e chefe de redacção do mesmo jornal durante a década de 50 e colaborou com a RTP em programas como «Portugal e o Mar». Faleceu em Angola, em 1963.”
Exemplar brochado em bom estado de conservação. Capas com manchas de oxidação, e defeitos de pouca monta.
Invulgar e muito apreciado.
25€

Sem comentários:

Enviar um comentário