07 novembro, 2016

BELLAMY, Eduardo - D'AQUI A CEM ANNOS. Traducção de M. Pinheiro Chagas. 2.ª edição. Lisboa, Typ. da Companhia Nacional Editora, 1891. In-8.º (19cm) de 291, [5] p. ; E.
Segunda edição publicada no mesmo ano que a primeira. Trata-se de um romance futurista verdadeiramente espantoso, premonitório em muitos aspectos, noutros, "ligeiramente" utópico.
"É indispensavel explicarmos a contradicção em que se acha o titulo do livro com o prefacio do auctor. O interessantissimo romance de Edward Bellamy figura ser escripto no anno 2000, e d'este anno é portanto datado o prefacio. Por conseguinte intitula-se Looking backwards - Olhando para traz. Os americanos que conhecem o auctor, e sabem quaes são as suas idéas socialistas, e seguem nos jornaes a critica e a explicação do livro, não tinham que se espantar com o ex-abrupto do prefacio, que já é o comêço do romance. Nós, porém, precisamos de dar no titulo a idéa dos intuitos do livro, que é pintar a sociedade como o auctor entende que ella deve ser D'aqui a cem annos, e explicar ainda o motivo por que está o prefacio do auctor em contradicção com o titulo que o traductor poz no livro. É que esse prefacio se suppõe escripto pelo supposto auctor do livro, que é tão imaginario como o seu protagonista, Julian West, nascido e ressuscitado em Boston, cidade dos Estados-Unidos."
(Introdução, Duas palavras de introducção)
"Vivendo como vivemos no anno ultimo do seculo XX, gosando as bençãos de uma ordem social a um tempo tão logica e tão simples que parece apenas o triumpho do senso commum, não admira que aquelles, cujos estudos não se applicaram amplamente a assumptos historicos, se espantem de lhes dizermos que a actual organisação da sociedade tem, no seu todo, menos de um seculo de existencia. Pois não ha facto historico mais incontestavel do que o de existir quasi até o fim do seculo XIX a crença geral de que o antigo systema industrial, com todas as suas revoltantes consequencias sociaes, estava destinado a durar, talvez emfim com algumas insignificantes modificações, até o fim dos seculos. Como parece extranho e quasi inacreditavel o ter-se realisado uma tão prodigiosa transformação moral e material, como a que tem havido de então para cá, em tão breve intervallo! A promptidão com que os homens se costumam, como sendo as cousas mais simples d'este mundo, a melhoramentos nas suas condições de vida, que quando se sonhavam parecia que não deixariam nada a desejar, não podia ser mais vivamente exemplificada. Que raciocinio melhor se podia imaginar para moderar o enthusiasmo de reformadores que contam para sua recompensa com a eterna gratidão dos seculos futuros!
O objecto d'este volume é prestar um serviço áquelles que, ao passo que desejam formar uma idéa mais definida dos contrastes sociaes entre os seculos XIX e XX, se assustam com o aspecto maçudo das historias que tratam do assumpto."
(excerto do prefácio)
"Foi na cidade de Boston que eu primeiro vi a luz do dia no anno de 1857. «O que! dizeis vós, oitocentos e cincoenta e sete? É um curioso lapso. O que elle quer dizer é novecentos e cincoenta e sete, é claro.» Peço perdão, não ha engano. Foi cêrca das quatro horas da tarde de 26 de dezembro, do dia seguinte ao dia de Natal, no anno de 1857 e não de 1957 que eu primeiro respirei a briza leste de Boston, a qual, posso affirmal-o ao leitor, possuia n'esta remota data as mesma penetrantes qualidades que a caracterisam no presente anno da graça de 2000."
(excerto do Cap. I)
Index:
Duas palavras. Prefacio. I. O seculo XIX e o seculo XX - O côche social - O heroe e a sua noiva. II. O dia da condecoração - O dr. Pillsbury e o creado do Sawyer - Como o nosso heroe adormece. III. Como elle acorda - Um somno prolongado - O panorama de Boston. IV. Edith Leete e sua mãe. V. A questão do ttrabalho no seculo XIX e as suas resoluções no seculo XX. VI. O exercito industrial. VII. O voluntariado do serviço industrial. VIII. Um passeio matinal em Boston - Edith Leete. IX. A questão dos salarios. X. As lojas do seculo XX. XI. A musica no seculo XX - Os creados e os medicos. XII. As promoções no exercito industrial - A bibliotheca do dr. Leete. XIII. As relações internacionaes - Os livros. XIV. Um restaurante no seculo XX. XV. A litteratura no seculo XX - O jornalismo - O romance. XVI. Aurora de amor. XVII. A producção e o consumo - As eleições. XVIII. A mocidade e a velhice no seculo XX. XIX. Os tribunaes e os crimes. XX. A visita no quarto subterraneo. XXI. A educação. XXII. A riqueza social. XXIII. Um mysterio. XXIV. Os anarchistas e o partido nacional. XXV. A condição das mulheres. XXVI. Um sermão. XXVII. Revelação. XXVIII. Realidade ou sonho.
Edward Bellamy (1850-1898). Foi um escritor norte-americano, socialista, mundialmente famoso pelo seu romance utópico de ficção científica «Looking Backward : 2000-1887» (1888), cuja acção decorre no ano 2000. Julian West – o personagem principal -, após um transe hipnótico, acorda numa sociedade socialista em pleno ano 2000.
Inconformado com as desigualdades que o sistema económico e social provocavam na sociedade americana do seu tempo, Bellamy protestou através da produção desta notável peça de literatura, best-seller na época. De acordo com Erich Fromm, Looking Backward é "um dos mais notáveis livros publicados na América".
Traduzido em mais de vinte línguas, influenciou a intelectualidade da época e apareceu nas listas bibliográficas de diversas obras marxistas. Os «Clubes Bellamy» espalharam-se por toda a América do Norte para discutir e divulgar as ideias do livro. Esse movimento político veio a ser conhecido como Nacionalismo, tendo inspirado várias comunidades utópicas.
Foi publicado em Portugal com o título D’aqui a cem annos (1891), com tradução de Manuel Pinheiro Chagas.
Pouco meses antes da sua morte, Bellamy publicou Equality (1897) – sequela da história futurista de Julian West, o seu protagonista em Looking Backward : 2000-1887, título que no entanto não viria a alcançar o sucesso do anterior.
Encadernação recente em meia de percalina com ferros gravados a ouro na lombada. Sem capas de brochura.
Exemplar em bom estado de conservação. Mancha ténue de humidade à cabeça que se vai desvanecendo após as primeiras folhas. 
Raro e muitíssimo curioso.
30€

Sem comentários:

Enviar um comentário