14 agosto, 2016

GRAVE, João - FOGUEIRAS DE SANTO ANTÓNIO : cantares. Porto, Livraria Chradron de Lélo & Irmão, L.da, 1920. In-12.º (13cm) de 106, [2] p. ; E.
1.ª edição.
Dedicada pelo autor "Ás môças da minha terra - Para cantarem nas danças".
Interessante obra de João Grave, por ventura, das menos conhecidas da sua extensa produção literária.

"Não procures subir alto,
Modera as tuas canseiras:
Há, muitas vezes beleza
Mesmo nas ervas rasteiras

A pomba que tu me envias
Vem pousar à minha beira
Trazendo o beijo da paz,
Como um ramo de oliveira.

É um destino ditoso,
O das pombas, afinal!
Já fôram as mensageiras
No Dilúvio universal"

(I, II e III)

João José Grave (1872-1934). “Foi um escritor e jornalista português. Autor de obras de ficção, crónica, ensaio e poesia. Como jornalista chefiou a redacção do Diário da Tarde e colaborou nos jornais Província, Século e Diário de Notícias e em vários órgãos da imprensa brasileira. Foi director da Biblioteca Municipal do Porto e dirigiu o dicionário enciclopédico Lello Universal. A nível literário, esteve inicialmente próximo dos naturalistas, notando-se influências de Emílio Zola. Depois enveredou pelo romance de costumes.”
Encadernação simples, cartonada, com ferros gravados a ouro na lombada. Conserva as capas de brochura.
Exemplar em bom estado de conservação. Lombada cansada. Sem f. anterrosto.
Raro.
20€

Sem comentários:

Enviar um comentário