16 maio, 2016

RAPOSO, José Hippolyto - SENTIDO DO HUMANISMO. Dissertação para concurso á Faculdade de Letras de Lisboa, no grupo de Filologia Românica. (Diário do Govêrno de 19 de Setembro de 1913). Coimbra, Tipografia França Amado, 1914. In-8.º (19,5cm) de 76, [4] p. ; B.
1.ª edição.
Edição original de uma das primeiras e mais invulgares obras do autor.
"O conceito atribuído á palavra Renascença, deriva naturalmente da interpretação que fôr ddada ao período medieval.
A diversidade de aspectos e critérios por que tem sido estudada esta época histórica e as prevenções com que cada qual se propõe resolver o problema, têm impedido a critica de formular até hoje uma síntese definitiva.
A Igreja reivindica para ela a gloria de ter sido em quinze séculos, o mais forte e quasi o único elemento de coordenação social.
O Feudalismo foi pedir á disciplina dos seus preceitos a força de coesão que tornou possivel então a jerarquia territorial, e por ela, a garantia dos interesses legitimos, a estabilização da familia, a ordem nas classes.
Foi á sombra dos santuários e mosteiros que se guardaram os pergaminhos de nobreza da sabedoria antiga, começaram a viver as universidades e se alimentou de motivos fecundos a Arte religiosa, no Oriente e no Ocidente.
Á continuidade da sua tradição de governo, devemos o traço de união do mundo antigo para o moderno."
(excerto de Espirito da Renascença)
Matérias:
I. Espirito da Renascença. II. Humanismo e Nacionalismo. III. A Língua dos Quinhentistas.
José Hipólito Vaz Raposo (1885-1953). “Um dos teóricos e dirigentes do Integralismo Lusitano. Era companheiro de mesa de Nobre de Melo com quem coabitava. Professor no Liceu Passos Manuel. Diretor do jornal A Monarquia em 1919. Advogado em Angola em 1922-1923. Reintegrado no professorado em 1926, passa a ser docente do Conservatório. Não apoia o salazarismo, de quem se torna crítico precoce. Um livro publicado em 1940 é apreendido pela polícia política e leva-o ao desterro. Considerava, então, a existência de uma salazarquia. Novamente demitido, apenas volta a ser reintegrado em 1951.”
(fonte: www.politipedia.pt)
Exemplar brochado em bom estado geral de conservação. Capa com defeitos. Sem f. anterrosto.
Raro.
15€

Sem comentários:

Enviar um comentário